terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Carta do leitor

É um gênero textual em que o leitor se dirige a um jornal ou revista para comentar, criticar ou elogiar uma matéria ou carta publicada em edições anteriores.

O editorial


É um tipo de texto no qual o autor exprime o parecer do jornal acerca de determinado fato. É um texto dissertativo que tem como finalidade propagar a ideia da empresa. Apresenta ideias que evidenciam o ponto de vista escolhido pelo jornal a respeito da matéria em evidência.

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Concurso de Textos para a Campanha da Fraternidade


Brasileiros que queiram participar desta campanha, lancei o concurso de textos.
Precisamos cuidar dos nossos "Biomas".
Gêneros textuais- postarei  três poesias, três relatos e três artigos de opinião.
Participem! Em breve postarei o regulamento.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

A notícia - Um gênero textual de cunho jornalístico


O elemento fundamental de um jornal é notícia. Essa caracteriza-se por ser um relato dos fatos sem comentários nem interpretação. Há uma fórmula para a estrutura da notícia: Q- Q-Q-O-C- PQ [o quê, quem, quando, onde, como, por quê], embora não haja uma ordem predeterminada, pois essa é estabelecida pelas circunstâncias que envolvem cada notícia.
Esse gênero trabalha com informações e apresenta a função referencial ou informativa da linguagem. De acordo com o caráter da informação há um tipo especial de sequências textuais.
- Sequência Narrativa: informação centrada numa mininarrativa, nessa o narrador tenta passar despercebido.
- Sequência Descritiva: informação centrada na apresentação do estado do fato.
- Sequência Explicativa: informação centrada na passagem de um conhecimento específico.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

A carta argumentativa


Fazendo uma retrospectiva em tempos mais antigos, um dos meios de comunicação muito em voga era a carta. A mesma era um instrumento bastante eficaz no envio e recebimento de notícias, e era também um meio de matarmos a saudade de parentes e amigos que ora encontravam-se distantes.
Hoje, porém, com o advento dos recursos tecnológicos, essa modalidade foi substituída por correspondências feitas em meio eletrônico, tais como, o E-mail, MSN, Orkut e agora Facebook, Twitter e outros.
A carta insere-se dentre os gêneros textuais que tem como característica principal a Argumentação, na qual o argumento fundamenta-se na solicitação e/ou reclamação sobre um determinado assunto.
Torna-se imprescindível sabermos que a referida argumentação assemelha-se àquela prescrita na Dissertação, onde o e emissor tem como foco principal convencer o destinatário de seu ponto de vista a respeito de um determinado assunto. O que as difere é que na dissertação não há um destinatário específico, do modo que há na carta.
Como a situação comunicativa é totalmente voltada para o instinto persuasivo, e mais, como é algo reivindicativo, esse destinatário pode ser alguém ilustre no meio social ou uma pessoa comum.
O que irá determinar o grau de formalismo é exatamente o nível de intimidade estabelecido entre ambos.
Como toda linguagem escrita é pautada por mecanismos específicos, essa não foge à regra. Portanto, atentemo-nos para suas partes constituintes:
- Local e data
- Identificação do destinatário, ou seja, a pessoa a quem será destinada
- Vocativo- Poderão ser usados pronomes de tratamento específicos, dependendo do grau de convivência entre os interlocutores
- Corpo do texto- A carta propriamente dita
- A despedida- Esta poderá ser formal ou não
- Assinatura- O nome da pessoa que a redigiu
Outra questão muito importante é que este tipo de texto é um dos mais requisitados em concursos públicos, provas de vestibulares e exames do ENEM. Mas agora que houve uma maior interação sobre as suas particularidades, é só colocá-las em prática e aguardar o excelente resultado.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Concurso de Poesias

Aguardem em breve, haverá concurso de poesias, por enquanto com alunos da minha escola, se o resultado for positivo, poderemos estender para outros lugares.
Obrigada pelo carinho por aqueles que visitam meu blog.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

A história da língua inglesa

Para ajudar os alunos da ETEC a ampliar seus conhecimentos e para professores e outros que quiserem aprender um pouco mais sobre essa língua.















BIBLIOGRAFIA
Cambridge, Corpus Christi College 140 [WSCp], Lord's Prayer - a translation of the Gospels written in Bath in the first half of the 11th century; edited by Liuzza (1994). Read by Cathy Ball (Department of Linguistics, Georgetown University) for Edward Vanetten's Sunday School class. <http://www.georgetown.edu/faculty/ballc/oe/paternoster-oe.html>. Online Oct 21, 2003.
Crack, Glen Ray. Battle of Hastings 1066 <http://battle1066.com/>. Online. June 27, 2001.
Crane, L. Ben, Edward Yeager and Randal L. Whitman. An Introduction to Linguistics. Boston: Little, Brown & Co., 1981.
Crystal, David. The Cambridge Encyclopedia of the English Language. Cambridge University Press, 1999.
D'Eugenio, Antonio. Major Problems of English Phonology. Foggia, Italy: Atlantica, 1982.
Encarta 97 Encyclopedia. Microsoft, 1997.
McArthur, Tom. The Oxford Companion to the English Language. Oxford, 1992.
Norton-Taylor, Duncan. The Celts. Time Inc, 1974.
Wallbank, T. Walter, Alastair M. Taylor and Nels M. Bailkey. Civilization Past and Present. Scott, Foresman & Co., 1962.

domingo, 5 de fevereiro de 2017

Barroco continuação