segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

A importância de aprender inglês









Na revista Veja Edição 2511- 4 de Janeiro de 2017
"Estima-se que a globalização da comunicação- mais um dos efeitos da era digital-leve ao sumiço 4500 idiomas, já que apenas 200 permanecerão vivos nas conversas via Facebook, Twitter, WhatsApp..."
O sumiço dever ser ainda maior na internet, em que apenas 200, aproximadamente, se estabelecerão- em especial sete: inglês, mandarim, espanhol, português, russo, francês e alemão.







Artigo de Opinião


Posicionar-se acerca de um determinado tema- Principal característica do gênero


Em meio à nossa vivência do dia a dia, estamos a todo instante nos posicionando a respeito de um determinado assunto. Essa liberdade que nos é concedida faz com que nos tornemos seres ímpares, dotados de pensamentos e opiniões acerca da realidade circundante, por vezes absurda e cruel.
Tal particularidade, relacionada a este perfil singular, desencadeia uma série de posicionamentos divergentes, os quais são debatidos e confrontados por meio de uma interação social- fato que confere uma característica dinâmica à sociedade, visto que, caso contrário, as relações humanas se tornariam frustantes e monopolizadas.
De forma específica, atenhamos ao título em questão quando o mesmo perfaz-se de dois termos básicos: Artigo e opinião. Procurando compreendê-los de acordo com seu sentido semântico, surge-nos numa primeira instância, a ideia de algo relacionado à escrita.
Munidos de tal percepção, sabemos que a mesma constitui-se de certas particularidades específicas, e mais! Trata-se de um gênero textual comumente requisitado em exames de vestibulares e concursos públicos de uma forma geral.
Sendo assim, torna-se imprescindível incorporá-lo aos nossos conhecimentos  e, sempre que necessário, colocá-lo em prática. Enfatizaremos então sobre alguns pontos pertinentes à modalidade em referência.
O artigo de opinião é um gênero textual pertencente ao âmbito jornalístico e tem por finalidade a exposição do ponto de vista acerca de um determinado assunto. Tal qual a dissertação, ele também se compõe de um título, um parágrafo introdutório o qual se caracteriza como sendo a introdução, ao explanar de forma geral sobre o assunto do qual discutirá.
Posteriormente, segue o desenvolvimento arraigado na desenvoltura dos argumentos apresentados, sempre tendo em mente que esses deverão ser pautados em bases sólidas, com vistas a conferir maior credibilidade por parte do leitor. E por fim, segue a conclusão do artigo, na qual ocorrerá o fechamento das ideias anteriormente discutidas.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Indicação de Livro

Ganhei esse livro da minha amiga Eliane, sou fã do Pe Fábio de Melo.
Super indico.
Em Quem me roubou de mim? padre Fábio de Melo aborda uma violência sutil, mas destruidora, que aflige muitas pessoas: o sequestro da subjetividade.
Essa expressão pouco comum refere-se a privação que sofremos de nós mesmos quando estabelecemos com alguém, nas palavras do próprio autor, "um vínculo que mina nossa capacidade de ser quem somos, de pensar por nós mesmos, de exercer nossa autonomia, de tomar decisões e exercer nossa liberdade de escolha."

Uma vez sequestrados, perdemos a capacidade de sonhar, ficamos impossibilitados de viver as realizações para as quais fomos feitos e não temos com quem reclamar. Precisamos, portanto, estar sempre atentos para que isso não nos aconteça pois, como escreve padre Fábio: "Nenhuma relação humana está privada de se transformar em roubo, perda de identidade, ainda que as pessoas nos pareçam bem-intencionadas. Um só descuido e as relações podem evoluir para essa violência silenciosa. Basta que as pessoas se percam de seus referenciais, [...] que confundam o amor com posse, que abram mão de suas identidades, e que se ausentem de si mesmas."

Comigo isso já aconteceu, isso serviu para meu amadurecimento, Espero que você se abra e possa deixar aquilo que o faça preso [a] e infeliz para ser muito mais feliz e que possa encontrar o seu verdadeiro "eu".
Se já leu coloque nos comentários o que achou. Um abraço!

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Indicação de Livro




Quem vai ganhar o coração dela?
"A Coroa"

É o quinto da coleção, tem como autora Kiera Cass, para compreender o enredo é necessário que leia a coleção.
Li e recomendo principalmente para adolescentes e aqueles que gostam de romance.
Em A herdeira, o universo de A Seleção entrou numa nova era. Vinte anos se passaram desde que America Singer e o príncipe Maxon se apaixonaram, e a filha do casal é a primeira princesa a passar por sua própria Seleção.
Eadlyn não acreditava que encontraria um companheiro entre os trinta e cinco pretendentes do concurso, muito menos o amor verdadeiro. Mas às vezes o coração prega peças...
E agora Eadlyn precisa fazer uma escolha muito mais difícil - e importante- do que esperava.

Uma amiga deu-me a ideia de sugerir livros para vocês que entram no meu blog. Gostei e fiz a primeira, estou lendo esse, pertence a minha sobrinha e afilhada Kelen, foi minha aluna e através desta coleção que começou a gostar de ler. Eu sempre senti prazer na leitura, desenvolve muitas habilidades. Um abraço!

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

My body


Nape- nuca

Back- costas

Leg- perna

Knee- joelho

Toe- dedo do pé

Ankle- Tornozelo

Foot- pé

Head- cabeça

Face- rosto

Cheek- bochecha- cheekbones- maçãs do rosto

Ear- orelha

Neck- pescoço

Chest- peito

Navel- umbigo

Arm- braço

Elbow- cotovelo

Thumb- polegar

Hand- mão

Fingers- dedos

Eye- olho

Eyelashes- cílios

Hair- cabelo

Nose- nariz

Mouth- boca

Lips- lábios

Chin- queixo


My body






Inglês- English


Dialogues

- Hello!
- Hello!
- Is everything all right?
- Yes, I'm okay [Okay].

- Good morning, John. How are you?
- I'm fine, thanks, and you?
- I'm fine, too.

- Good afternoon, Paul. How are you?
- I'm very well, thanks, and you?
- I'm fine, too.

- Good evening, Robert. How are you?
- Just fine. And you?
- I'm fine, too.

- Good night, class. See you tomorrow.
- Good night, teacher. See you.

 - Good bye, Meg!
- Good bye! Have a good trip.

Vale a pena estudar essa língua. 
Good luck for you! 

A carta pessoal

                           A carta pessoal
A linguagem varia de acordo com o nível de intimidade entre remetente e destinatário


Falar sobre o uso recorrente deste gênero textual, aqui representado pela carta, parece um tanto quanto retrógrado, posto que os recursos tecnológicos proporcionaram mudanças significativas no modo de ser e agir de grande parte das pessoas.
Tempos atrás, a carta e o telegrama eram os únicos meios de comunicação escrita. Atualmente, a tecnologia  permite que as pessoas, mesmo residindo em lugares distintos, interajam pelos inúmeros sites de relacionamento, dialogando em tempo real, como se estivessem frente a frente.
Entretanto, torna-se essencial mencionarmos que a "era digital", por motivos socioeconômicos, não atingiu toda a população. Há, portanto, quem ainda faça uso da carta para se corresponder com amigos e familiares que se encontram fora do convívio diário. Sem contar que, a carta, por se classificar dentre os inúmeros gêneros com os quais compartilhamos no nosso dia a dia, está entre os conteúdos relacionados aos diversos processos avaliativos, ora representados pelos exames de vestibulares e concursos públicos.
Assim, sendo, ela se classifica como um gênero textual especificamente utilizado na comunicação entre pessoas que mantêm um vínculo de relacionamento, cuja finalidade discursiva pode pautar-se por objetivos diversos- fazer um convite, atribuir agradecimentos, trocar notícias entre os interlocutores envolvidos, relatar sobre um passeio, dentre outros.
Quanto aos aspectos de natureza linguística, a carta pessoal, assim como bem retrata a própria nomenclatura, se difere das demais correspondências em que prevalece um certo tecnicismo mediante regras pré-estabelecidas, como por exemplo, a carta argumentativa, a de apresentação e as demais correspondências oficiais.
Tal divergência se refere ao predomínio de uma linguagem, que varia de acordo com o grau de intimidade entre o remetente e o destinatário, podendo prevalecer tanto o padrão formal quanto ao coloquialismo. De modo a efetivarmos nossos conhecimentos acerca das particularidades inerentes ao gênero em questão, atentemo-nos para os seguintes elementos:
* O local e a data- Geralmente compõem as partes iniciais, se encontrando posicionados à esquerda da folha:
* O vocativo- Como se trata de uma comunicação relacionada a um assunto livre, poderá haver o emprego de alguns termos coloquiais, até mesmo gírias ou que denotem uma intimidade maior entre os interlocutores, tais como: Querida amiga; brother, caríssimo companheiro, etc. O vocativo pode ser seguida de dois pontos, vírgula ou não conter nenhum sinal de pontuação:
* O texto- Trata-se do discurso propriamente dito, sendo desenvolvido de acordo
 com a finalidade a qual o remetente se propõe.
* A despedida e a assinatura- Como dito anteriormente, dependendo do grau de intimidade estabelecido pela convivência, a despedida tende a variar, podendo ser formal ou mais cortês, com vista a retratar uma certa afetividade.
Quanto à assinatura, constará apenas o nome do remetente, sem atribuição ao sobrenome, algo bem simples, sem resquícios de formalidades.
Outro aspecto elementar da referida modalidade está no fato de que ela é enviada pelo correio. Para tanto, precisa-se de todos os dados necessários a fazer com que a comunicação seja realmente efetivada, ou seja, na frente do envelope deverá conter os dados do destinatário- nome, endereço completo e CEP. No verso, deverão constar os dados referentes ao remetente, seguidos também de todos os elementos citados.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Concurso PM- Substantivos















Olá pessoal! Espero que gostem desses slides não serve só para esse concurso, assim como para estudar para outros e para você estudante que quer aprender um pouco mais nossa língua.

I hope it helps you from another country.

Finalistas do Soletrando e família

Chegou o grande dia a entrega dos prêmios para os alunos do "Soletrando", tenho certeza que irão gostar muito de seus prêmios. ...